Feitiço teu.

Que louco né?

Era um domingo diferente, aquele dia, porque no outro dia, era ‘domingo’ outra vez. E agora fazem quase vinte, que a cada minuto seguinte, é a tortura de esperar pra te ver.

E era dia de rock, bebê?

Era sim, e deu rock. Sempre me liberto em meio a multidão, apenas mais um louco na escuridão, cantando as músicas que me rasgam ou um dia rasgaram o coração. ‘EU QUERO É ROCK!’ já diziam os Raimundos, e eu sempre achei que não, (realmente achava que não), não haveria alguém que pudesse me acompanhar, me dar a mão e pular comigo, cantar cada música e dar risada da minha loucura, compartilhar dela,

ser ela.

Ela.

O que você fez?

Qual o segredo, vai me conta.

Estava no beijo ou no sorriso, meu bem eu preciso,

saber se foi seu abraço, ou nosso amasso,

Qual foi o feitiço? Nunca pare o teu feitiço.

Não pare nunca, pois sou teu. E é cada vez tão mais forte. Eu amo o sol e as manhãs agora que você está aqui, eu amo os pássaros cantando, amo a noite chegando, o dia começando e terminando, pois agora eu tenho você e eu tenho o seu amor. E você me diz coisas tão lindas quanto seus lábios a falar, quanto sua boca a sorrir, tão lindas quanto o charme do seu cabelo a voar, vermelho, em seu rosto a me olhar; o teu olhar…me faz acalmar, acalma o mar, que desagua dentro de mim, todo dia, faz…faz-me amar-te, faz-me enlouquecer-te, todo dia, toda hora, me toma e devolve todo esse ser, a alma que em um só nos tornamos aquele dia, naquele beijo, que nos (re)encontramos, e nos encantamos.

E eu penso: – Porque relutar?

Seguir conselhos clichês ou ‘anti-clichês’, tentar achar motivo pra não ser verdade, esse exagero de saudade que sentimos quando longe, quando desgrudados, tentar medir o que falamos um para o outro, tentar esperar pra que tenhamos certeza do que tá escancarado em nossa cara. Para quê? Esconder, esperar, relutar; porquê?

E eu sou logo bem claro, não cabe pra mim, no ‘eu gosto de você’ tudo que eu sinto vontade de te dizer, não cabe para nós, fica vago, em um ‘eu te adoro’ tudo o que nós somos, e queremos, juntos. Eu arriscaria te explicar, talvez soubesse te falar mas, em ti eu chego, e em ti eu quero ficar, de ti que eu parto, e é pra ti que quero voltar. Todo dia antes de partir, já tô pensando em retornar.

E como é possível tanta coisa em comum. Gostos que eu nunca achei que encontraria em alguém. Como pode alguém gostar de pão com ovo e catchup? E duas pessoas que gostem? Duas pessoas que estão juntas? E isso vai além. Vai até o ponto de não existir uma música em que não concordemos em alguma coisa em relação a ela. Diz pra mim que você gosta de Harry Potter? Você diz: “Os livros são melhores que os filmes”, e eu (mais uma vez) concordo. E vão dizer, é claro, que isso não existe, que isso é no começo e que ninguém pode combinar tanto assim com alguém. Mas eu fecho os olhos e, te vejo concordar com o que eu vou dizer agora:

  • Nós nos completamos. O que começa em mim, termina em você e vice-versa. Nós provaremos o contrário, provaremos que o amor e a parceria que temos vão além de qualquer clichê furado. Faremos tudo juntos a partir de agora, uniremos não só as nossas partes boas, quanto as ruins, e estaremos juntos, de mãos dadas quando vierem as dificuldades, assim como vamos sorrir e, gargalhar em cada uma das alegrias (que são certezas).

É feitiço, só pode. Na verdade, não é não, é encanto. Você nasceu pra me encantar, e eu nasci pra te amar. Nunca fui bom em muita coisa, mas agora, eu sei:

Parte de mim é bom em te amar, e a outra é boa em te fazer feliz.

É encanto. Muito encanto e amor.

Eu te amo. Tá vendo só o que cê fez, pequena. Tá vendo? Continua fazendo, todo dia, toda hora. A única coisa que fizemos ‘errado’, foi não ter se encontrado antes, esses vinte dias parecem meia década, e que venham décadas. Pois faço desse amor nosso alimento, faço dessa amizade nossos pilares, o cuidado, a parceria, a confiança, o respeito; faço das risadas músicas ao nossos ouvidos, e faço pra que seja sempre, peço que seja para sempre, meu amor!

Que louco né?

Que essa loucura seja eterna e, não fica longe de mim não.

Não dá pra prometer um final feliz bebê;

Porque eu não quero um final.

Se você sabe explicar o que sente, não ama. O amor foge de todas as explicações possíveis.

Carlos Drummond de Andrade

PS: Ela é Palmeirense mas, ela me ama. A gente muda esse time. E aquelas garrafas não eram minhas, ok?

Anúncios

2 comentários Adicione o seu

  1. Agda Marianne disse:

    Bah, que lindo! Parabéns, pelo texto.

    Curtido por 1 pessoa

    1. dchicarelli disse:

      Muito obrigado! Venha sempre acompanhar Agda 😉

      Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s