Um laço, um abraço ou um amasso.

Pegue os papéis de trouxa que esses canalhas te fizeram passar e, vamos fazer um fogueira e aquecer o nosso amor.

Eu não sou canalha, não fora da sua cama. Tudo bem, desculpa se é direto demais, porque afinal eu ainda não me deitei nela. O que pode provar que eu não sou um canalha(?).

Eu sou seu amigo ou, sempre fui.

Ouvi muitas de suas lamentações, encobri mentiras bobas suas, ajudei naquele balão que você deu no tal canalha, dei conselho errado, dei conselho certo e até um certo tempo atrás não levava em conta que você é uma mulher e eu um homem e que, normalmente convivendo por algum tempo junto, tendo os mesmos gostos, por música, por atitudes a gente (ou eu) iria se atrair.

E agora você está ai. Grudada em seu celular cobrindo o rosto, me falando do cara que vem sempre de longe te ver, tenta me fazer acreditar que é sério o lance que estão vivendo.

Sério?

Esse…cara, tá lá você aqui, ele faz o que quer lá e você não faz aqui e, quando faz, sente remorso e evita até de ver. Minha linda, meu amor,

Sério isso?

Você tá ai, eu aqui e, nada mesmo?

Eu nunca quis ser só mais um pra você. Um desses caras que te leva pra sair, te enche de mentiras, te faz feliz sim, previamente, te beija, te abraça, e some. E volta. E se vai outra vez, volta quando quer.

‘Ah quando der a gente se vê’;

‘Me espera, eu vou voltar’;

‘Não sei se quero alguma coisa séria’;

‘Estou com saudades mas, tá corrido’;

Eu nunca medi frases quando estava com você, nunca ensaiei caretas ou caras feias e muito menos medi minhas ou suas atitudes. Porquê eu sempre estive aqui. Eu nunca sumi de você e, para quê o faria se no meu peito você já ergueu sua morada.

Eu não te peço abraço, eu te abraço.

Eu não te dou conselho, apenas te olho e, você sabe.

Eu não te dou desculpas, se é para você, com você ou por você, eu faço.

Eu não te espero, eu estou do seu lado.

Eu não te quero mais, como minha amiga.

Que me atire tijolos quem vê maldade nisso, quem fica surpreso que isso possa acontecer, sempre acreditei piamente em nossa amizade e isso só me da motivos mais claros para acreditar em nosso amor. Só deixa acontecer…deixa esse laço desfazer, deixa o rio desaguar, seguir seu curso.

Só penso que você deveria se entregar, se deitar em cima de suas incertezas e se cobrir com suas mais lindas intenções e sonhos de menina. Veste de novo o teu encanto, porque não procuro tanto, mas de repente você encontra, em mim, o que tem procurado em outros ‘reinos’, em algum castelo desabado e, enquanto isso eu estava aqui na janela ao lado, me achando derrotado, vencido pelos infortúnios da vida.

Eu não sou rei, não sou príncipe muito menos encantado, mas te ofereço esse céu estrelado, um beijo na testa ‘estalado’, nosso mais lindo laço, o nosso abraço e um amasso…aquele amasso.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s