É tão cedo(?)

folhas-de-outono

‘Nos conhecemos no outono, foi mais fácil pra mim me apegar, afinal sempre é mais fácil. Não, pelo contrário, eu sei que você tá pensando ‘e ai se beijaram, ficaram juntos, se mudaram, etc, etc e tal’, não…

Pare.

Eu me apego tão fácil em cada uma das pessoas que conheço que começo acreditar que eu estou no mundo errado, ou na época errada. Vejo pessoas tão vidradas em seus bens materiais, tantas pessoas com a aura pesada, de olhos vazios, que quando encontro um mero sorriso de boca inteira já estou me apaixonando.

Pois bem, decepções a parte;
Vejo um mundo medíocre. Crescemos aprendendo que temos que amar, que temos que zelar, sermos cordiais, proporcionar elogios e o mais importante, sermos sinceros. E aonde fica o espaço para sermos sinceros, principalmente com nossos sentimentos?

Sempre começa tudo tão bem, são mensagens de bom dia, são abraços apertados, vamos ver um filme, sonhei com você, você é demais, vem aqui ficar comigo isso tudo sem beijo, sem amasso, isso tudo vivendo, sorrindo, amizade, lealdade, respeito, confiança, companheirismo e, de repente, ‘eu to curtindo você, é amor’. Pronto.

É como se eu olhasse dentro de sua íris e enxergasse a menina dos seus olhos correndo de mim.

Mas é tão cedo’.

Cedo pra quê mesmo? Cedo pra conhecer alguém que te valorize? Ou será cedo pra viver um amor de verdade? Quem sabe ‘mais tarde’, depois que você se enfiar em alguns relacionamentos sem fundamento nenhum e ver que devia ter dado mais valor a quem cuidava de você. Você sabe muito bem, e enxerga como nunca quem tem segunda intenção em sua boa vontade, mas tem pessoas que abrem a porta do carro pra você e não é por ‘boniteza’ e sim por respeito, por cuidado, porque é habito, ou não, porque você é diferente, ou não

Porquê você é especial,                                                              (para alguém, eu garanto).

E se você é especial, você merece alguém que no mínimo reconheça isso, estou errado? As vezes esse mundo louco me faz pensar que eu estou.

‘Não é você sabe, sou eu o problema’, olha eu até pensei em discordar dessa frase clichê, mas eu concordo. Realmente o problema não está em mim, nem em ninguém que já ouviu essa frase. Está nas outras pessoas. Qual problema? Medo. De tudo, da vida, do sentimento, das pessoas…medo do amor, medo de estragar o que é perfeito sem amor, mas meu Deus, se já é perfeito sem amor, como vai estragar se você se deixar amar?

O amor conserta tudo!

E conserta até esse seu coração teimoso, que insiste em correr do que pode te fazer bem, e cair no colo do que só pode te fazer mal.

‘Eu acho que você gosta mais de mim, do que eu de você’.

Pois é. E isso é ruim? Aprender a gostar de alguém que gosta muito de você é mais difícil do que inventar, se ludibriar com alguém que não está nem aí? Daí vem a fonte da loucura. Você vai em festas, conhece pessoas, e logo aquele infeliz que nem olhou pra sua cara, ou que fez cara de nojo enquanto você ria com suas amigas, é logo por ele que você vai escolher sofrer?

Desnecessário.

E tem alguém que tá em casa, enchendo folhas em branco, com palavras que queria que você ouvisse.
Alguém que já viu muita gente, que aprendeu da pior forma, e quer te poupar dessa besteira.
Mas não…

‘Nós conhecemos no outono, foi dificil pra mim desapegar, afinal sempre é dificil. E é bem o que você está pensando dessa vez, a primavera chegou, e eu ainda sinto frio como no inverno. Não…

Não deixe isso acontecer,
não deixem o amor morrer.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s